U2

 

A Apple e o U2 pareciam ter feito um grande negócio e uma grande parceria, quando ao final do último evento da empresa, anunciaram que o álbum “Songs of Innocence” estaria imediatamente de graça no iTunes e nos Gadgets de todos os usuários. O álbum entraria para a história da indústria da música por chegar simultaneamente a milhões de pessoas no momento de seu lançamento. Um feito inédito!

Foi com certeza um grande presente, mas nem todo mundo parece ter apreciado. Muitos lamentaram que fossem forçados a ver um álbum que não pediram salvo em sua coleção musical. E teve bastante gente reclamando, tanto é que a Apple teve que disponibilizar uma ferramenta para remoção do álbum.

E agora, em uma entrevista bem bacana veiculada no Facebook, o vocalista Bono Vox, se mostra bem consciente de que o episódio foi um tanto quanto constrangedor. Ele disse que foi uma pena porque o U2 estava preocupado que álbum, que reflete anos de trabalho, pudesse não ser ouvido se ocorresse um lançamento convencional.

O assunto surgiu na entrevista quando a banda recebeu a seguinte pergunta:

“Vocês poderiam, por favor, nunca mais lançar um álbum no iTunes que seja automaticamente baixado para as playlists das pessoas? Isso é realmente rude.”

 

u2

 

A resposta do vocalista pareceu bem sincera e triste. Você pode assistir toda a entrevista no Facebook.

Particularmente acho desnecessário esse tipo de polêmica e com dimensões completamente desproporcionais. O que pareceu rude foi a forma como a pergunta foi feita, porque afinal de contas, estamos falando de uma das bandas mais respeitadas do mundo. Mas se você também acha que a Apple e o U2 foram muito presunçosos sobre o seu interesse em receber o rock/pop da banda como um presente, vá em frente e use a ferramenta criada para remover esse “constrangimento”. Você pode acessá-la aqui.

Bem, o “dano” já foi feito e a banda não vai reverter o negócio em que, dizem os rumores, ganhou cerca de US$ 100 milhões. Mas se isso serve de consolo, pelo menos é pouco provável que o U2 repita a manobra, por que ao que parece, não gostou de ter sua qualidade musical questionada de uma forma tão exposta.

 

 

(Via TechCrunch)

Sobre o autor

Administrador e Editor - Graduado em Tecnologia da Informação e hard user de tecnologia