Você já teve, em um momento ou outro, vontade de viver a vida de outra pessoa? Isso não é tão incomum quanto muitos podem pensar. Se isso já aconteceu com, saiba que você não é o único. O artista Mark Farid já sentiu isso, mas em seu caso, ele resolveu levar a insanidade momentânea às últimas consequências, ou melhor, ao extremo da lógica. Ele está planejando um experimento, onde vai viver a vida de outro homem através de um headset de realidade virtual, um Oculus Rift, por 28 dias seguidos.

Esta outra pessoa não será conectada em tempo real, mas tudo será gravado com seis dias de antecedência. Mas imagine que loucura! Tudo o que o outro homem vivenciar terá que compartilhar através de uma câmera acoplada, não importa o quão privada a situação possa ser.

Mark terá apenas um contato direto com um humano, que ocorrerá durante apenas uma hora no dia e mesmo assim será com o seu psicólogo. Isso ocorrerá todos os dias e sua agenda não terá espaço para mais nada, pois ele estará atrelado ao seu “sinal de entrada” e passará a comer, dormir e até ir ao banheiro quando a sua vida remota quiser. O esperado é que Mark perca bastante de sua própria identidade ao assumir a identidade de outro homem por um longo tempo.

 

Oculus Rift

 

Se você acha que isso soa perigoso, você está certíssimo! Como o site Vice explica, há preocupações reais de que Mark corra o risco de perder o seu próprio sentido e auto-domínio e enfrente problemas psicológicos profundos. Há também uma preocupação com lesões oculares, embora os oftalmologistas consultados não acreditem que ele vá enfrentar maiores efeitos colaterais.

De qualquer forma, Mark pode ter que parar a experiência mais cedo, abortando-a, caso surjam sinais maiores de distúrbios. Deve ser desnecessário dizer que ninguém deve tentar isso em casa, não importa o quanto você goste de realidade virtual ou do Oculus Rift.

 

(Via Engadget)

Sobre o autor

Administrador e Editor – Graduado em Tecnologia da Informação e hard user de tecnologia