Os norte-coreanos terão essa semana a chance de conhecer o filme que levou o nome de seu país a ser falado em todo o mundo. Uma ação patrocinada pela US-based Human Rights Foundation (HRF) e realizada pelo Fighters for Free North Korea (FFNK), enviará para a Coreia do Norte balões com “A Entrevista. Uma verdadeira chuva de balões de hélio está programada para ocorrer nos próximos dias, carregando DVDs e USBs do controverso filme.

the-interview-3-970x0

Os balões irão carregar a remessa em sacos plásticos e também transportar folhetos, rádios e outros itens voltados para apresentar informações sobre o mundo exterior aos cidadãos do país, que já é chamado de “reino eremita”. O regime vem direcionando grande parte de sua ira em direção a Park Sang Hak, presidente da FFNK e desertor norte-coreano que já havia lançado balões com mensagens para o Norte anteriormente. No entanto, mesmo com as acusações das autoridades norte-coreanas para as atividades do grupo, a entrega especial está programada para acontecer até sexta-feira, mas o tempo exato depende das condições meteorológicas. O plano é enviar 100 mil cópias de “A Entrevista” para o norte da cidade de Daegwangri.

Explicando sua posição em um comunicado divulgado na segunda-feira, a HRF disse:

Apesar dessas e anteriores ameaças, o HRF prosseguirá com o lançamento dos balões… como parte de um esforço mais amplo para ajudar os grupos de desertores a quebrar o monopólio da informação do regime de Kim.

O filme, que retrata uma conspiração da CIA para matar o líder norte-coreano Kim Jong-un, esteve no centro de um enorme hack na rede da Sony Pictures no final do ano passado. A Coreia do Norte, que se opôs fortemente ao lançamento do filme, foi responsabilizada pelo ataque cibernético, mas ela negou veementemente o envolvimento.

North-Korea-South-Korea-map-generic-jpg

Com muitos norte-coreanos vivendo em condições de pobreza, não está claro quantas pessoas teriam acesso a um leitor de DVD ou um computador para assistir “A Entrevista”, caso a ação tenha sucesso e o filme pare nas mãos da população. Com isso em mente, parece que o envio do filme para a Coreia do Norte será feito mais para irritar os líderes do país, do que fornecer à população alguma coisa útil. Mesmo porque o filme é de qualidade extremamente discutível e não vale o hype criado em torno dele.

Via Digital Trends  

Sobre o autor

Administrador e Editor - Graduado em Tecnologia da Informação e hard user de tecnologia