Atualmente, a aplicação das leis federais norte-americanas parecem não conseguir muito sucesso para exigirem um backdoor de segurança e a criptografia em smartphones tem sido alvo de críticas e polêmicas. Inclusive, já vimos aqui um caso envolvendo a Apple. Mas parece que os juízes estão buscando opções para reverter esse quadro. Alguns deles, incluindo um que publicou um parecer sobre um caso de fraude em New York, estão considerando a possibilidade de fazer uso daquilo que é conhecido como a “Lei de Todos os Mandados“, uma lei de 1789 que pode se valer de alguns pontos para obrigar os fabricantes de celulares a fornecer “auxílio técnico razoável” no desbloqueio de aparelhos.Criptografia em smartphones

Teoricamente, isso poderia forçar os fabricantes a ajudar a ajudar o governo a conseguir acesso aos smartphones que desejarem, embora quase todos recentemente afirmem que não podem.

É claro que a teoria e a prática são duas coisas bem diferentes. Tanto o Android, a partir de Lollipop, quanto o iOS, possuem uma criptografia que Google e Apple dizem que é impossível de ser quebrada, a menos que o proprietário do dispositivo forneça a senha, que eles não armazenam.

O assunto promete dar ainda muita discussão, mas o que se vem falando que é simplesmente impossível ignorar a necessidade de acesso do governo aos smartphones dos cidadãos e que a situação atual extrapola o limite do que é “razoável” e não se pode aceitar “limitações técnicas”.

Depois de todas as revelações feitas por Edward Snowden, que mostraram ao mundo os atos de espionagem do governo americano, as empresas de tecnologia ficaram em uma posição bastante delicada. É bastante incômodo ver a justiça americana insistindo que a criptografia em smartphones das últimas versões do sistemas operacionais móveis sejam quebradas. Chega a ser revoltante acreditar que essa possibilidade simplesmente exista, depois de tudo o que já foi discutido.

Parece que temos que relembrar o que disse Snowden: “Quando você diz: ‘Não tenho nada a esconder’, você está dizendo, ‘Eu não me importo com esse direito’… é o governo que tem que justificar a intrusão em seus direitos.”

Via Wall Street Journal

Sobre o autor

Administrador e Editor – Graduado em Tecnologia da Informação e hard user de tecnologia