A tecnologia há muito tempo tem sido uma forte aliada da medicina: ressonância magnética, criação de prótese feita por impressoras 3D e até mesmo um Drone Ambulância. Tecnologias como essas tem ajudado muitas pessoas a terem um melhor diagnóstico, se livrarem de enfermidades ou pelo menos conviverem com ela, mas com melhor qualidade de vida. A boa notícia que chega agora é no campo de tratamento da acne.

Laser Acne

A boa notícia desta vez, do campo da tecnologia, vem para os que sofrem ou que ainda irão sofrer com o maior flagelo da adolescência: a Acne. As espinhas, nome vulgarmente dado as lesões da acne, ocorrem quando os poros da pele se tornam obstruídos. Remédios convencionais geralmente envolvem remover o excesso de sebo (substância cerosa produzida naturalmente pelas glândulas sebáceas), regular a sua produção com medicação e uso de antibióticos para combater as bactérias envolvidas no processo desta doença. No entanto, os pesquisadores publicaram uma nova solução no Journal of Controlled Release, chamado Fototermólise Seletiva, que não dependem de drogas ou de produtos químicos tradicionais.

Investigadores da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara junto com uma empresa privada de equipamentos médicos chamada  Sebácia, desenvolveram uma  nova terapia para diminuir a frequência e a intensidade das crises da acne, usando uma tecnologia que combina ultra-som, nanopartículas de sílica cobertas de ouro e laser. Usando ultra-som de baixa freqüência, a terapia empurra as nanopartículas de sílica revestidas de ouro através do folículo para as glândulas sebáceas.

“A única coisa sobre estas partículas é que, quando você direciona o laser sobre elas de forma eficiente, a luz é convertida em calor através de um processo chamado de ressonância de plasma de superfície”, disse Samir Mitragotri, professor da UCSB de engenharia química.

Essas nanopartículas de sílica são extremamente pequenas com cerca de um centésimo da largura de um cabelo humano, mas são a chave para a terapia. Quando posicionadas nos locais chaves na pele, as nanopartículas revestidas de ouro interagem com o comprimento de onda do infravermelho do laser, transformando luz em calor. As partículas aquecidas provocam desativação das glândulas sebáceas. O Sebo e outras substâncias que antes bloqueavam os poros e contribuíam com a progressão da acne, são agora excretados. “Se você desativar essas glândulas superprodutores, você está tratando basicamente a causa da acne”, disse Mitragotri.

Nanoparticula acne

Diferentes de outras terapias da acne, este método não é irritante para pele, e ao contrário do que acontece com o uso de antibióticos, não contribui para formação de resistência bacteriana De acordo com Mitragotri, esta tecnologia de fototermólise seletiva é particularmente adequada para pacientes com acne avançada, grave ou difíceis de tratar. As pesquisas deixaram de ser apenas um conceito e já ganharam o status de ensaio clínico, agora os pesquisadores se concentram em estabelecer os parâmetros de segurança desta tecnologia  e quais possíveis contra-indicações. Ainda não há informação sobre quando a fototermólise seletiva estará disponível para o tratamento da acne.

 

Via Engadget

 

 

Sobre o autor

Editor - Graduado em Marketing e hard user de tecnologia