Já divulgamos aqui no site diversos tipos de drones, desde o Drone Ambulância até o Drone da NASA. Mas certamente o drone Lily é o mais interessante visto até agora e não temos dúvida que você irá concordar com isso após assistir o vídeo abaixo.

O drone Lily não precisa de controle, isso mesmo, basta levar consigo um rastreador e ele te seguirá aonde você for, capturando lindas fotos de até 12 megapixels e fazendo vídeos incríveis em 1080p a 60 frames por segundo ou se preferir poderá gravar em câmera lenta com 720p a 120 fps. Esqueça aqueles drones tradicionais em que você precisa assumir um controle manual e fazê-lo decolar como um helicóptero, com o Lily basta você solta-lo no ar e ele automaticamente começa a voar. Esse incrível drone pode atingir uma altura máxima de 15 metros e voar a uma velocidade de 40 km/h. A distância máxima que ele pode ficar da pessoa com o rastreador é de 100 metros e mínima de 1,75 metro.

E o que você achou da cena onde o drone Lily é jogado na água e ainda assim consegue sair voando sem nenhum dano? Impressionante. O Drone é a prova d’água e você não precisará ficar preocupado caso comece a chover. A autonomia de voo é de 20 minutos e como a bateria dele é completamente selada (necessário para ser a prova d’água), demora-se 2 horas para que seja novamente recarregada.

O rastreador que fica em seu poder, lhe dá a opção de escolher entre os 4 modos para o posicionamento do drone Lily na filmagem: à frente, seguindo, ao lado ou em volta. O rastreador também possui um microfone para capturar o áudio e um botão para fazer com que o Drone tire fotos no momento em que você desejar.

Drone Lily

O preço? Não precisa se assustar, o Lily custa durante a sua pré-venda 499 dólares e após isso passará a custar US$ 899,00. Talvez seja uma boa dica caso esteja para fazer uma viajem aos Estados Unidos.

 

Via TechCrunch

 

 

 

Sobre o autor

Editor – Graduado em Marketing e hard user de tecnologia

  • andersonweb

    Incrível. É ficção-científica virando realidade

    • Diogo Reis

      Impressionante mesmo. Melhor seria se viesse para o Brasil pelo mesmo preço que custa nos EUA, mas aí, isso sim seria ficção-científica.