Já ouviu falar no grafeno?  É o “novo” material  que atua como um super capacitor, e agora pode ser a fonte de luz mais fina do mundo.

Grafeno

Uma equipe de cientistas da Columbia Engineering, Universidade Nacional de Seul (SNU) e do Instituto de Pesquisa e Normas de Ciência da Coréia (KRISS) informou que eles demonstraram, pela primeira vez, uma fonte de luz visível on-chip usando o grafeno. O grafeno é uma forma fina e perfeitamente cristalina de carbono. Isso significa que essa fonte de luz é de cerca de um átomo de espessura.

Liderados pelo jovem Pato Kim, pesquisador de pós-doutorado, os pesquisadores ligaram pequenas tiras de grafeno a eletrodos de metal e passaram uma corrente através dos filamentos para aquecê-lo. “Nós criamos o que é essencialmente a mais fina lâmpada do mundo”, diz Wang Fon-Jen, Professor de Engenharia Mecânica e co-autor do estudo. “Este novo tipo de emissor de luz podem ser integrados em chips e abrirá o caminho para a criação de displays atomicamente finos, flexíveis e transparentes, e comunicações ópticas baseadas no grafeno.”

A equipe mostrou que o grafeno é capaz de atingir temperaturas superiores a 2.500 graus Celsius, quente o suficiente para fazê-lo brilhar intensamente.

O grupo está atualmente trabalhando para entender ainda mais o desempenho desses dispositivos, por exemplo, a rapidez com que pode ser ligado e desligado com o fim de gerar “bits” em comunicações ópticas. Eles também tentarão desenvolver técnicas para integrá-las em substratos flexíveis.

As  LEDs de hoje já podem ser usadas para enviar dados, já que conseguem ser ligadas e desligadas muito rapidamente. O futuro talvez traga uma forma diferente com que usamos fontes de luz em uma residência, muito em breve o desenvolvimento da tecnologia OLED e agora do grafeno, poderão permitir que até mesmo uma parede inteira de uma casa se transforme em um grande display para se assistir filmes e programas de TV.

 

Via Digital Trends 

 

Sobre o autor

Editor - Graduado em Marketing e hard user de tecnologia