Kirobo Mini é o apelido dado ao robô, em tamanho de dispositivo móvel, revelado nesta segunda-feira pela Toyota. Ele foi concebido como um companheiro bebê sintético no Japão, onde a redução na taxa de natalidade deixou muitas mulheres sem filhos.

Kirobo Mini e o mercado

A divisão não-automotiva da Toyota pretende explorar uma tendência demográfica que colocou o Japão na vanguarda do envelhecimento entre as nações industrializadas do mundo, resultando em uma contração populacional sem precedentes para um país que não está em guerra, ou sendo devastado pela fome ou doença.

“Ele balança um pouco, e isso é feito para imitar um bebê sentado, que não tenha desenvolvido plenamente as habilidades para manter o equilíbrio”, disse Fuminori Kataoka, engenheiro-chefe do projeto Kirobo Mini. “Esta vulnerabilidade é significativa para invocar uma ligação emocional.”

A Toyota planeja vender Kirobo Mini, que pisca seus olhos e fala com uma voz de bebê, por 39.800 ienes (US $ 392) no Japão no próximo ano. Ele também vem com um “berço” que funciona como cadeira de bebê projetado para acoplar na porta do carro.

Contexto atual

Com a relutância em convidar imigrantes para reforçar a sua população em idade ativa, a crise demográfica do Japão mostra poucos sinais de mudança. O governo passa então a olhar para robôs na ideia de reabastecer as fileiras que estão ficando carentes dos seres humanos.

No último meio século no Japão os nascimentos foram reduzidos pela metade para cerca de um milhão por ano, de acordo com estatísticas do governo. Uma em cada 10 mulheres nunca se casará. Nascimentos fora do casamento são malvistos no Japão, são muito menos comuns do que nos países ocidentais desenvolvidos.

O Japão já é um usuário líder de robôs industriais. Ele tem a segunda maior concentração depois de Coreia do Sul com 314 máquinas por 100.000 empregados, de acordo com a Federação Internacional de Robôs. A nova tecnologia para ajudá-los a interagir melhor com os humanos resultou em robôs começarem a ir além das fábricas e entrarem nas casas, escritórios, lojas e hospitais.

Kataoka afirmou que a Toyota, que está investindo pesadamente para desenvolver inteligência artificial para carros de auto-condução, vê o Kirobo Mini como um trampolim para os robôs mais avançados que serão capazes de reconhecer e reagir às emoções humanas de modo cada vez melhor.

via Fortune

Sobre o autor

Programador, Graphic e Web Designer, D Silva é um heavy user de internet e tecnologia em geral buscando sempre estar atento à vanguarda.