Enquanto as empresas aéreas brasileiras estão ocupadas pensando em como remover ainda mais os poucos direitos de seus clientes, somos levados a pensar que as coisas estão um pouco melhores para os usam os serviços das empresas aéreas na Nova Zelândia. O vídeo abaixo nos dá um bom exemplo disso. A Air New Zealand e a Dimension Data estão usando o óculos de realidade aumentada Microsoft HoloLens para oferecer um novo patamar em personalização de atendimento aos passageiros, por parte dos comissários de bordo.

Segundo o site VRScout , se supõe que tudo ainda está em fase de testes, e não está claro se tudo o que é apresentado no vídeo já existe de verdade ou se é apenas um projeto. No sistema descrito pela Air New Zealand, os atendentes de vôo, equipados com o HoloLens, são capazes de identificar os passageiros através do reconhecimento facial, obtendo assim, pelas lentes do óculos, detalhes sobre destino, supostas alergias e até mesmo o tempo desde que o passageiro solicitou sua última bebida a bordo.

Uso do HoloLens para Detectar Estado Emocional

Além disso, o programa detectaria o humor de um passageiro através de “sinais visuais e de áudio” . No vídeo, um atendente observa um passageiro passar do estado “calmo” para o “ansioso” e vice-versa. Claro que ainda é cedo para afirmarmos se o HoloLens seria capaz de captar emoções com precisão aceitável no mundo real. Outra questão que parece carecer de melhorias é o atual design do HoloLens, que pelo menos no vídeo, dá a impressão de ser desconfortável e nem um pouco discreto.

Microsoft HoloLens

Apesar destas ressalvas, é incontestável que a longo prazo, a realidade aumentada possui sim um enorme potencial para ajudar as empresas a aumentar o nível de personalização de atendimento aos seus clientes.

Via VRScout

Sobre o autor

Editor – Graduado em Marketing e hard user de tecnologia