Lembra do Google Glass, o óculos inteligente que deveria se tornar o próximo computador portátil? Apesar de muitos já terem anunciado o funeral deste projeto do Google, ele ainda não está morto e mais do que isso, obteve um emprego, vários empregos, na verdade. A segunda edição do Google Glass foi testada e implantada em muitas fábricas nos Estados Unidos por empresas como Boeing, GE e DHL, conforme relatado pela NPR em março, e hoje reiterado pela Wired, só que agora com um novo nome: Google Glass Enterprise Edition (EE)

Google Glass Enterprise Edition Modular

As principais atualizações com relação ao Google Glass original são uma câmera melhor (com resolução atualizada de 5 para 8 Megapixels), maior vida útil da bateria, Wi-Fi, um processador mais rápido e uma nova luz vermelha que liga quando o Glass está gravando vídeos. A eletrônica do Google Glass Enterprise Edition também foi feita de forma modular e chamada Glass Pod, que pode ser destacada e plugada em qualquer armação, incluindo óculos de segurança e óculos normais, destes que você usa no dia a dia.

Google Glass Enterprise Edition

A escala do lançamento Google Glass EE ainda é pequena, com o relatório Wired indicando que foram vendidas algumas centenas unidades e que a maioria dos clientes adquiriram o produto com a finalidade de realizar testes. Apesar disso, os gerentes de produtos da Alphabet (empresa controladora do google) estão otimistas sobre as perspectivas da aplicação do Google Glass no ambiente de trabalho.

O líder do projeto, Jay Kothari, comentou: “Este não é um experimento. Foi um experimento há três anos. Agora, estamos em plena produção com os nossos clientes e com os nossos parceiros “. Na verdade, de acordo com o último relatório, o feedback dos trabalhadores e das empresas tem sido surpreendentemente positivo, com o Google Glass Enterprise Edition fornecendo informações importantes para melhora do desempenho e aumento da produtividade.

Google Glass EE

A Alphabet está agora expandindo programa para que mais empresas participem. O que pode ter representado o fracasso dos óculos de realidade aumentada do Google como um produto de mercado de massa, ao que parece, pode gerar o sucesso do dispositivo em aplicação ao uso corporativo.

Via Blog X Company

Sobre o autor

Editor – Graduado em Marketing e hard user de tecnologia