Muito tem se falado sobre a super valorização que a bitcoin teve nos últimos anos. Recentemente sua cotação chegou a ultrapassar o valor de US$ 10 mil. Mas muitos ainda se perguntam o que de fato é um Bitcoin e como foi criado, por isso iremos explicar abaixo o conceito e a origem desta moeda que tem tomado as manchetes de muitos jornais mundo afora.

Um bitcoin é na verdade uma moeda, assim como é o Real, entretanto com pelo duas diferenças. A primeira é que não é possível guardar bitcoins em um cofre de banco por exemplo, já que ela não existe fisicamente, pois se trata de uma moeda exclusivamente virtual. A segunda diferença é que sua transmissão não é controlada por um Banco Central. Ela é produzida por milhares de computadores de forma descentralizada e mantida por pessoas que “emprestam”a capacidade de processamento de seus computadores para criar bitcoins e registrar as transações que são realizadas.

Mineração de Bitcoin

O bitcoin é criado a partir de um processo chamado “mineração”. Este processo consiste em uma rede de computadores conectados e que competem entre si para resolução de problemas matemáticos. Os que ganham, recebem um bloco de bitcoin .

Os desafios tem seu nível de dificuldade ajustado pela rede, com o intuito que a moeda cresça dentro de uma faixa pré-estabelecida que é de 21 milhões de unidades até o ano de 2140. Este limite foi definido pelo criador da moeda e desenvolvedor chamado Satoshi Nakamoto. Com o passar do tempo o valor da recompensa daqueles que praticam a mineração também é reduzido.

Na época que foi criada, em 2009, qualquer um que tivesse o software podia realizar a “mineração”, bastando para isso deixar o computador ligado ininterruptamente por vários dias e noites. Conforme foi aumentando o número de pessoas interessadas em participar deste processo, a tarefa de fabricar bitcoin acabou se restringindo aqueles que possuem super computadores com alto grau de processamento. O aumento desta disputa entre super máquinas acabou dando origem a hardware dedicado a tarefa de mineração como o Avalon ASIC.

Mas “mineração” não é a única forma de se conseguir bitcoin, também é possível compra-las através de casas de câmbios específicas ou aceitar a criptomoeda como pagamento ao vender algo. A bitcoin é guardada em uma espécie de carteira virtual, que é criada no momento em que um usuário se cadastra no software. Após o cadastro, o usuário recebe um código com letras e números (também chamado de endereço) que pode ser utilizado nas transações. Nestas operações, a identidade do comprador e vendedor permanecem anônimas, sendo somente a transação registrada no sistema de forma pública.

A bitcoin pode ser utilizada pra comprar produtos no mundo todo, embora ainda seja pequeno o número de empresas que aceita ma criptomoeda. Existe entretanto um forte movimento para que mais países e estabelecimentos passem a trabalhar com o bitcoin.

Embora os mais otimistas afirmem que o bitcoin ainda deva valorizar muito, devido a entrada de novos interessados e o aumento do número de estabelecimentos que passariam a aceitar a moeda como forma de pagamento, analistas econômicos tem alertado contra uma possível bolha que estaria sendo criada pela rápida valorização da moeda e que caso ela estoure, poderia em pouco tempo trazer uma forte desvalorização para o bitcoin e ainda contaminar a economia real.

Sobre o autor

Editor – Graduado em Marketing e hard user de tecnologia