Em meio à grande polêmica, juiz ordena que app Secret seja retirado do mercado

Você já ouviu falar do app Secret? Não? Até então, eu também não o conhecia. Mas parece que no Brasil esse aplicativo conseguiu criar uma grande polêmica, onde começou a fazer fama. Agora a situação foi além, e ele se tornou centro de uma grande confusão.

 

IMG_0071
Secret 2

 

O problema já começa na idéia e conceito do aplicativo, que promete ser uma rede social onde você pode contar seus segredos de forma (quase) anônima. Mas não é bem assim e nem poderia ser. Afinal, normalmente, quando você conta um segredo, esse segredo não é só seu. Ele pode envolver outras pessoas que participaram da situação relatada, direta ou indiretamente. Principalmente se o segredo for revelado para os contatos de sua agenda.

Mas a situação é ainda mais delicada, porque o app Secret nunca terá como selecionar quais são os relatos verdadeiros ou falsos. Isso quer dizer, que ele permitirá que pessoas mal intencionadas possam usar o aplicativo para calúnia e difamação. Isso sem mencionar as terríveis brincadeiras de mal gosto, que se alastram indiscriminadamente por meio desse aplicativo. É o que pode-se chamar de “cyber bullying”.
Pois bem, esclarecida a situação, você poderia se perguntar: “Mas será que isso fará sucesso? Quem se importa?” Pois saiba que o sucesso do app Secret é assustador. Acredite! E sim, muitos se incomodam com isso. Assim, o MPES (Ministério Público do Espírito Santo) resolveu acabar de vez com a brincadeira entrando com ação pública acatada pela justiça que proibiu a distribuição do aplicativo pela lojas de apps do Google e da Apple. E foi além: pede que o aplicativo seja apagado remotamente dos aparelhos. A situação é no mínimo curiosa e não é difícil imaginar que esse tipo de ação gerará desconforto e reações por partes de usuários e empresas afetadas. Mas torna-se ainda mais compreensível quando lemos que fotos pornográficas são mentirosamente atribuídas a pessoas inocentes que sequer podem se defender por não saberem de onde elas surgiram. E essas histórias e fotos ainda são compartilhadas com os “amigos dos amigos”.

Google e Apple devem retirar o aplicativo de circulação em no máximo 10 dias, sob pena de multa diária de R$20.000,00. A decisão vale também para a loja da Microsoft e o aplicativo de objetivo similar “Cryptic“.

Vamos aguardar as cenas seguintes desse episódio, que no Brasil, ganhou proporções que geram repercussão no mundo todo, colocando o nosso pais, como referência na discussão.

Você pode adicionalmente visitar a página do MPES para mais informações.

Post Author: Benicio Brown

Administrador e Editor - Graduado em Tecnologia da Informação e hard user de tecnologia