Apple Watch: veremos a história se repetir?

Apple Watch 2

 

Foi impressionante como a platéia presente no auditório do Flint Center no dia de ontem irrompeu em aplausos quando Tim Cook pronunciou a célebre frase: “One more thing“. Ele tinha mesmo mais uma coisa a anunciar. Da maneira ligeira como os novos iPhones foram apresentados, era certo que havia mais. Era o tão especulado smartwatch da Apple. Enfim, batizado oficialmente: Apple Watch.

As grandes fabricantes de eletrônicos, de uma forma geral, ainda não nos convenceram que precisamos de um smartwatch. Não mesmo! Mas a Apple parece querer mudar isso. Se conseguirá, é outra história. Não sabemos.

 

Apple Watch 4

 

Mas se considerarmos o histórico da empresa de Cupertino e suas revoluções tais como nos computadores, tocadores de música, smartphones e tablets, nós ficaremos com a pulga atrás da orelha. Todos esses produtos já existiam antes da Apple fazer suas próprias versões. Mas eles não eram populares até que o Macintosh, o iPod, o iPhone e o iPad chegassem ao mercado. Não é papo de fã! É um fato que tem que ser reconhecido. A Apple mudou esses mercados. Steve Jobs dizia que a Apple fazia sucesso porque seus produtos eram fáceis e divertidos de usar. E ele tinha razão.

Apple Watch 4

Cook, ontem, disse que a Apple teve que inventar uma nova interface para o relógio, porque simplesmente encolher um telefone não iria funcionar. Claro que não!

Parece que grande parte da interação com o Apple Watch se dá através do que a Apple chama de “coroa digital”. Ela é usada para várias funções, como por exemplo, para aplicar zoom in e zoom out de um mapa. Faz todo sentido.

 

size_590_Digital-Crown

 

O relógio trabalhará também com aplicativos de terceiros. A Apple trabalhou com alguns desenvolvedores para criar novas funcionalidades. E ela não escolheu qualquer desenvolvedor. Já se sabe, por exemplo, que o relógio será capaz de desbloquear as portas do quarto em hotéis Starwood ou lembrar-se de onde você estacionou seu carro, se você tiver um BMW.

Nativo no sistema, encontraremos ferramentas para fitness, estilo de vida, navegação urbana (Apple Maps) e alguns outros relacionados à exibição das horas e de detalhes do tempo. Além disso, o relógio ficará todo o tempo monitorando seus batimentos cardíacos, registrará seus passos e sua atividade corporal. Tudo isso é enviado para um aplicativo do sistema ou um de terceiro, como o da Nike.

 

Apple Watch

 

O novo relógio virá em três modelos – Apple Watch, Apple Watch Sport, and Apple Watch Edition – em uma variedade de estilos e pulseiras. A Apple falou em duas opções de tamanhos: 38 e 42 mm. A tamanho parece bom, mas só saberemos exatamente a sensação quando colocá-lo no braço. Mas há de se ressaltar, que os relógios dos concorrentes têm sido criticados por serem grandes para os braços menores.

 

Apple Watch

 

Não vamos deixar de citar aqui a incrível versão em ouro de 18k. Afinal, não foi à toa que a imprensa do mundo da moda foi convidada para o evento.

 

Apple Watch 5

 

O Apple Watch precisa estar pareado com um iPhone para conseguir executar a maioria de suas funções, inclusive para usar a Siri, que também estará presente de forma nativa no relógio. Conectado ao iPhone, é possível, dentre outras coisas, enviar mensagens e recusar ligações.

Vamos aguardar a reação do mercado para saber se mais uma vez um setor da indústria de eletrônicos será sacudido. Prevejo um grande sucesso… ou um retumbante fracasso!

O relógio vai exigir para conexão um dos novos iPhones 6 ou um iPhone 5, 5s ou 5c. Ele estará disponível no início do próximo ano, a um preço inicial de US$349, nos Estados Unidos.

Abaixo você assiste a dois vídeos promocionais publicados pela Apple em seu canal no YouTube.

 

https://www.youtube.com/watch?v=ktujsc4ZUTo

 

https://www.youtube.com/watch?v=gCluaJe3lb4

 

 

Post Author: Benicio Brown

Administrador e Editor - Graduado em Tecnologia da Informação e hard user de tecnologia