Por que um ente querido precisa de um transplante de rim

Muitas vezes, falamos sobre cuidados médicos como se fosse claro: você tem um problema, procura um médico e, esperançosamente, obtém uma solução. Mas nem sempre é tão simples. Encontrar o problema em si pode ser um desafio e, quando se trata do tratamento certo, muitas vezes trata-se de entender as compensações.Se você tem um ente querido com doença renal crônica, não é diferente. Os rins são tão importantes porque removem os resíduos do corpo. E eles continuam muito ocupados fazendo isso – eles filtram cerca de 45 galões de sangue todos os dias. Então, quando eles param de funcionar também, resíduos e fluidos se acumulam. Isso leva a problemas como pressão alta e insuficiência renal. Quer saber mais sobre ? Acesse https://nefroclinicas.com.br/

Alguém com doença renal crônica tem duas opções principais. Eles podem fazer um transplante para receber um rim saudável de um doador. Ou eles podem iniciar a diálise, um tratamento em que o sangue é filtrado por uma máquina ou na barriga com a ajuda de um tubo especial.

Você pode pensar que um transplante é mais um último recurso, a coisa a fazer quando você fica sem opções. Mas isso dificilmente é o caso. Para a maioria das pessoas, os médicos preferem o transplante à diálise.

Função renal normal

Os rins são dois órgãos em forma de feijão em cada lado do abdome inferior perto das costas. Esses órgãos recebem um fluxo sanguíneo regular dos grandes vasos sanguíneos renais que trazem o sangue do corpo.

Existem milhões de pequenos filtros, conhecidos como néfrons dentro do rim. Estes ajudam a filtrar os resíduos nocivos e produtos químicos no sangue e filtrar o excesso de líquido para formar a urina. A urina então flui para fora dos rins através dos ureteres para a bexiga urinária, de onde é eliminada do corpo através da uretra.

Doença renal

Com a doença, esses néfrons ficam danificados, os rins podem perder suas habilidades de filtragem. Isso significa níveis elevados e potencialmente fatais de resíduos e produtos químicos no corpo. Quando os rins perderam cerca de 90% de sua capacidade de filtragem, diz-se que a pessoa tem doença renal terminal.

Causas da doença renal terminal

Causas comuns de doença renal em estágio final incluem: –

  • Diabetes – Esses pacientes têm um nível de açúcar no sangue continuamente alto. Esse alto nível de açúcar no sangue pode danificar os filtros nos rins, levando a danos nos rins a longo prazo e, finalmente, à insuficiência renal. Isso é chamado de nefropatia diabética.
  • Pressão alta ou hipertensão – Esta é outra causa comum de doença e insuficiência renal. A pressão arterial elevada nos minúsculos vasos sanguíneos do rim leva a danos e impede que o processo de filtragem funcione corretamente.
  • Bloqueios nas artérias que trazem sangue para os rins ao longo do tempo, chamados de estenose da artéria renal, são outra causa de doença renal em estágio final
  • Outra condição é chamada de doença renal policística, que é uma condição hereditária. Existem vários cistos grandes ou espaços ocos formados dentro do rim que dificultam seu funcionamento normal.
  • Pode haver problemas congênitos no desenvolvimento dos rins. Isso ocorre desde antes do nascimento e se manifesta quando mais de 90% da função renal está comprometida.
  • Doença da imunidade, como o lúpus eritematoso sistêmico (LES), em que o sistema imunológico do corpo não reconhece o rim como seu e o ataca pensando que é um objeto estranho.

Tratamento para doença renal terminal

Por que os médicos preferem transplantes?

A razão é simples: as pessoas que recebem transplantes geralmente vivem mais do que aquelas que fazem diálise. Por exemplo, um adulto de 30 anos e em diálise pode viver mais 15 anos. Com um transplante, esse número salta para 30-40 anos.

Não apenas as pessoas que recebem transplantes geralmente vivem mais, elas também tendem a ter:

  • Melhor qualidade de vida. Eles não passam horas por semana fazendo diálise e são mais propensos a voltar ao trabalho.
  • Menos limites em sua dieta
  • Menos problemas de saúde a longo prazo decorrentes do transplante do que as pessoas com diálise
  • Mais energia
Além disso, a diálise pode prejudicar o corpo. Pode causar problemas que vão desde anemia, onde você tem menos glóbulos vermelhos, até doenças cardíacas.

Fonte de Reprodução: Getty Imagem

Se os transplantes são melhores, por que tantas pessoas fazem diálise?

Principalmente porque há muito mais pessoas precisando de rins do que doadores. Muitas pessoas fazem diálise porque precisam. Eles não têm outra escolha enquanto estão na lista de espera por um rim de doador. E para eles, a diálise é um salva-vidas.O Blog Nefro clinicas detalha outras coisas sobre transplante renal, veja a seguir https://nefroclinicas.com.br/blog/

Existem pessoas que não deveriam fazer um transplante?

Qualquer pessoa, de crianças a idosos, pode fazer um transplante de rim, mas nem todos são saudáveis ​​o suficiente para um. Se o seu ente querido tiver alguma dessas condições, é improvável que ele faça um transplante:

  • Câncer ativo ou recentemente tratado
  • Doença que pode limitar sua vida a apenas mais alguns anos
  • Infecção que não pode ser tratada ou continua voltando
  • Condição de saúde grave – como doença cardíaca grave – isso significa que eles não são saudáveis ​​o suficiente para cirurgia
  • Muito acima do peso

Os seguintes problemas também podem impedir um transplante:

  • Demência
  • Abuso de drogas ou álcool
  • Estado funcional ruim
  • Dificuldade em lembrar de tomar remédio
  • Problemas de saúde mental que não são facilmente gerenciados

Mesmo que seu ente querido seja mais velho ou tenha um problema de saúde como diabetes, seu médico pode ajudá-lo a entender se um transplante é uma opção segura. Algumas pessoas podem tomar medidas para melhorar sua saúde – como perder peso ou parar de fumar – para possibilitar um transplante.

Quais são os riscos?

Os principais são:

Rejeição renal: Há uma chance de que o corpo rejeite o rim doado. Seu ente querido tomará remédios pelo resto da vida para evitar que isso aconteça, e os medicamentos mais novos diminuem muito as chances disso.

Efeitos colaterais da medicina: Como qualquer medicamento, os medicamentos usados ​​para prevenir rejeições de transplantes podem ter efeitos colaterais. Eles geralmente funcionam tornando seu sistema imunológico menos ativo, o que aumenta a probabilidade de você ter infecções e pode aumentar as chances de contrair câncer. Outros efeitos colaterais podem incluir acne, doença óssea e pressão alta.

Cirurgia: Qualquer cirurgia, incluindo um transplante de rim, tem riscos, como sangramento e infecção.

Mesmo com esses riscos, o transplante renal geralmente leva a uma vida mais longa e com melhor qualidade do que a diálise. A maioria das pessoas passa apenas 3-4 noites no hospital após um transplante e não tem grandes problemas com a cirurgia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.