Reeducação alimentar: dicas de como começar

1- Não faça mudanças muito repentinas ou muito sutis

Um dos grandes erros da maioria das pessoas que iniciam suas reeducações alimentares é escolher um dos extremos, seja por muito ou por pouco. Isso significa que muitas dessas pessoas optam por protocolos extremamente restritivos e não permitem que possam segui-lo por muito tempo.

Alguns bons exemplos são dietas sem carboidratos, dietas e shakes, dietas de sopas e assim por diante. Na verdade, estas são tipicamente mais dietas do que reeducação alimentar. Por outro lado, algumas pessoas tendem a fazer mudanças sutis que, na realidade, deveriam ser uma obrigação e não consideradas mudanças em si. Bons exemplos são aquelas velhas histórias de “reduzir refrigerante, agora, só bebo nos finais de semana!” ou ainda, “eu corto as batatas fritas!”. Claro, esses são passos importantes, mas se forem feitos, você não está reeducando seu corpo para comer adequadamente. Quer saber mais sobre ? Acesse https://guiasarms.com.br/

Para iniciar uma reeducação alimentar é necessário um protocolo. Você precisa seguir alguma coisa. No entanto, algo que seja palpável para o seu bolso e para o seu dia-a-dia e, ao mesmo tempo, algo significativo e não apenas um “pequeno troco”. Siga uma dieta, aprenda a inserir coisas que você gosta, delicie-se em experimentar coisas que ACHA QUE NÃO gosta e você ficará surpreso com os resultados que começarão a se tornar muito naturais.

2- Não enfatize demais os alimentos “saudáveis”

Você deve ter se confundido ao ler “alimentos saudáveis”, mas observe que esse “saudável” está entre aspas, denotando algo com duplo sentido. Quando quero dizer saudável, quero dizer aqueles alimentos que são tão enfatizados e acabam se tornando tabus na dieta. Aqueles alimentos como salmão, pães caros, alimentos especiais sem glúten, sem lactose, sem isso, sem isso, com adição de sementes, com adição de inúmeros compostos, são interessantes, mas estão longe de serem fundamentais ou longe de serem a base de uma dieta.

A verdade é que a maioria das pessoas, pelo menos no Brasil, não consegue manter uma dieta nesse nível financeiro e acha que não terá resultados por falta de condições, o que é uma VERDADE. É muito possível estruturar adequadamente uma dieta impecável, gastando pouco (Aprenda a montar uma dieta por 15 reais por dia). Por exemplo, que tal trocar o salmão pela sardinha, que é ainda mais rica em ômega-3? Que tal trocar o arroz integral pelo próprio arroz branco, que fará pouca diferença? Que tal trocar as caras sementes de chia ou qualquer outra por lindas castanhas do Pará? Que tal trocar o seu pão pelo sal do Himalaia sem glúten por um pão integral bom e bem mais barato? Para muitos, dieta significa investir o que você tem e o que não tem, e na realidade NÃO é bem assim, senão só teríamos pessoas magras e em forma nas classes sociais altas, não é?

Além disso, considere que a maioria desses alimentos tem pouca aplicação prática na maioria dos casos, pois são utilizados de forma inadequada, em quantidades inadequadas ou mesmo com frequência inadequada e também sem combinações adequadas.

Por isso, escolha o básico no início da reeducação alimentar. Se depois você conseguir comprar e manter alguns dos “caprichos” alimentares, fique à vontade.

3- Comece olhando para o balanço total de energia

As calorias são as unidades de medida da combustão dos três principais macronutrientes do corpo (proteínas, carboidratos e lipídios), com cada grama de carboidrato fornecendo 4kcal, cada grama de proteína fornecendo 4kcal e cada grama de lipídio fornecendo 9kcal. Claramente, ainda temos outros nutrientes, como o álcool que fornece 7kcal por grama ou mesmo algumas fibras alimentares que podem fornecer até 3kcal por grama.

Pouco adianta estruturar um plano com alimentos saudáveis, pouco adianta consumir as refeições com frequência ou algo do tipo, achando que isso vai resolver o problema. Se você ingerir 500Kcal a mais de suas necessidades nutricionais individuais de alimentos saudáveis ​​como um bom peixe, essas ainda serão calorias e representarão um ganho no balanço energético, resultando em ganho de peso e gordura corporal.

O primeiro ponto que deve ser observado em QUALQUER DIETA é o balanço energético total da dieta, ou seja, quantas calorias você consome diariamente. Para isso, cálculos de taxa metabólica basal, valor energético total, entre outros ( Calorias: O que são e como são calculadas ) são essenciais e devem ser medidos com precisão. Obviamente, eles não são únicos, pois contamos com a individualidade fisiobiológica de cada um. No entanto, eles são a melhor orientação. Assim, tendo esse cálculo, você deve ter em mente que se ele for mantido, a tendência é manter o peso, pois você está gastando o mesmo que consome diariamente. Caso contrário, se o que você ingere em calorias for menor do que o que você gasta, resultará em um déficit que resultará em perda de gordura corporal finalmente, se o que você come é mais, a tendência é ganhar peso, o que também NÃO é conveniente.

Todo esse saldo deve ser distribuído entre as refeições, estruturando o consumo total ao longo do dia. Então cuidado com as calorias!

4- Não conte muitas calorias

No item anterior, falamos sobre a importância de contar calorias, e neste aqui falamos sobre não contar calorias demais. Parece loucura, mas é mais ou menos isso. Contar calorias é uma estratégia inteligente, mas medir algumas coisas com tanta precisão e precisão é extremamente prejudicial.

Por exemplo, há pessoas que chegam a ser tão extremas em sua dieta que contam calorias de molhos e temperos como ketchup, mostarda ou até mesmo do churrasco. Eles até medem a folha de alface que entra no seu prato. Meça as calorias do suco sem açúcar (Crystal Ligh) que estão em sua dieta. Isso limita os ganhos, pois faz com que você não tenha liberdade de consumo de energia e acaba restringindo demais a versatilidade da dieta.

Por outro lado, contar muitas calorias significa sempre comer uma quantidade fixa de calorias durante o dia. Acontece que nossos corpos não funcionam da mesma maneira todos os dias. Em épocas mais frias consome mais energia, quando andamos um pouco mais consome mais energia … Aquele dia que tiramos para descansar consome menos energia e assim por diante. Portanto, é muito importante que também tenhamos a malícia de manipular nossa ingestão calórica diária, garantindo que as necessidades do corpo sejam respeitadas. Se um dia você estiver com menos fome, é bom que você coma menos, pois pode ser um indicativo de saciedade energética. Se um dia sentir fome, tome cuidado, pois pode ser algum tipo de deficiência nutricional.

Portanto, não seja altamente sistemático. Seja preciso o suficiente para que isso não se torne prejudicial aos resultados que você deseja alcançar.

5- Estruture seu dia a dia e planeje as refeições com antecedência

A maioria das pessoas justifica o fato de comer errado com a falta de tempo ou mesmo com a falta de disponibilidade de alimentos na hora de comer. No entanto, esta é uma desculpa barata. O segredo de conseguir manter a dieta é saber se planejar com antecedência e saber preparar tudo o que precisa antes e levar esses itens com você.

Dificilmente você encontrará o que precisa para comer, preparado do jeito que precisa e nas quantidades certas para você. Só VOCÊ pode fazer isso e é fundamental que NÃO DEIXE DE FAZER, mas que o faça com antecedência, já se prevenindo de passar por algum tipo de necessidade. O Blog Guia Sarms detalha outras coisas sobre alimentação e mais, veja a seguir https://guiasarms.com.br/

Fonte de Reprodução: Getty Imagem

Cozinhar e fazer marmitas pode ser uma tarefa difícil no começo, mas com o tempo você percebe que essa é uma forma muito prática de comer, mais barata e mais gratificante, pois você começa a ver os inúmeros bons resultados em sua própria pele. Isso parece fútil para alguns, porque “arroz é tudo igual”, “carne é tudo igual” e assim por diante… Porém, eles desconsideram o teor de gordura da carne vendida em restaurantes, desconsideram os níveis muito altos de sódio e até a naturalidade dos alimentos, pois tendem a ficar armazenados por algum tempo, o que faz com que percam grande parte de seus micronutrientes, como vitaminas e minerais.

Então, se você realmente quer sair de casa com segurança, sem quebrar a dieta e se alimentar adequadamente, comece a preparar sua própria comida, isso é essencial.

Outra boa ideia é usar essas novas empresas de refeições personalizadas, que fazem a comida de forma saudável e de acordo com o que você precisa e solicita. Porém, o custo é bem mais alto e essa pode não ser uma opção viável para a maioria das pessoas, apesar de ser MUITO confortável (a maioria dessas empresas até trabalha com delivery).

6- Corte doces, refrigerantes e salgadinhos

Um dos primeiros passos para acostumar o corpo a um estímulo alimentar diferenciado é cortar alguns vícios que não farão falta, para que seu corpo literalmente comece a desaprender a tê-los como vícios. Dizem que um hábito se forma a cada aproximadamente 18 dias consecutivos da mesma repetição dele. Então, se você tiver o luxo de seguir sua dieta, certamente não vai te acostumar com a nova rotina.

É incrível perceber que a maioria das pessoas, depois de passar por um processo de reeducação alimentar e aprender a comer direito, se surpreende por não sentir mais vontade de comer junkie, ou quando come acaba se sentindo física (e psicologicamente) mau.

É essencial que possamos realmente nos adaptar aos novos hábitos. No começo, realmente não será fácil e você precisará de esforço, mas com o tempo, você verá o quão progressivo e benéfico será.

7- Descubra novos alimentos e novos preparos

Uma das maiores razões para desistir das dietas é que as pessoas pensam que fazer dieta é comer comida sem gosto, sem gosto e totalmente ruim. Por outro lado! Você tem inúmeras opções para deixar sua comida extremamente saborosa, saudável e fazer da sua dieta um momento de prazer, pois sentir prazer com a comida é algo fundamental na dieta e na vida.

Muitas pessoas negligenciam o uso de diversos temperos, molhos e até sal. E, ninguém está dizendo que você deve estar entupido com sal ou algo parecido. Embora importantes, eles também devem encontrar um equilíbrio. Porém, ainda existem inúmeras outras formas de deixar sua comida bem saborosa, com ervas, temperos, inúmeros temperos e etc.

                                         

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.